Pages

quinta-feira, 5 de junho de 2008

05 de junho: Dia Mundial do Meio Ambiente...

Nada melhor que este dia para começar a mostrar às crianças as maravilhas do Meio Ambiente!

Crianças se desintoxicam das telinhas.



Li esta notícia no blog da Ana Cláudia Bessa, O Futuro do presente, e achei super interessante! Além de sentir uma grande necessidade sobre ter uma "consciência coletiva" a respeito deste assunto.

30/05/2008
Dez dias: na Europa, crianças se desintoxicam das telinhas
De Martine Laronche
Enviada especial do "Le Monde" a Estrasburgo.

No dia 20 de maio, uma terça-feira, os 254 alunos da escola primária do Ziegelwasser (antigo afluente do Reno, hoje um dos canais que atravessam Estrasburgo, uma cidade constituída por várias "ilhas") se lançaram num desafio tão arriscado quanto difícil: dispensar toda e qualquer telinha de televisão, computador e consoles de videogame durante dez dias. Logo após o anúncio, os jornalistas passaram a disputar espaço diante da porta da escola, que é classificada na categoria ZEP (Zona de Educação Prioritária), situada no bairro popular do Neuhof, na periferia.

Até mesmo a secretária de Estado para a família Nadine Morano se deslocou de Paris até o estabelecimento. Uma semana mais tarde, as crianças estão prestes a vencerem a partida. A taxa de sucesso supera os 90%, enquanto a meta que havia sido projetada para tanto era de 70%."No começo, nós não sabíamos o que esperar", se recorda Lucette Tisserand, mãe de um baixinho chamado Samuel, de 7 anos e meio. Habitualmente, o seu filho fica assistindo aos desenhos animados na televisão, pela manhã, além das informações regionais e do seriado "Omar et Fred" no canal por assinatura "Canal+", à noite, junto com a sua mãe. Nos dias sem escola, ele fica brincando com o seu Nintendo DS."Ele realmente levou o desafio a sério. Um dia, excepcionalmente, eu quis assistir a uma reportagem na televisão sobre esta experiência. Pois ele saiu da sala e foi se trancar no seu quarto", recorda-se a sua mãe. Felizmente, o garoto dispõe de muitas alternativas: bicicleta, piscina, museu, feirinha de objetos usados no pátio da escola...

Com tudo isso, Samuel teve um fim de semana bastante agitado."Graças a esta experiência, o ambiente está tranqüilo lá em casa", acrescenta Lucette. "Em relação a tudo isso, creio que algumas dessas regras deverão ser mantidas: não mais assistir à televisão durante as refeições, continuar nos divertindo com jogos de sociedade, e ler uma história para o meu filho à noite".

Os pais, apoiados pela associação ambientalista estrasburguesa ECO-conseil, que esteve na origem da operação em parceria com a Câmara de Consumo da Alsácia, participaram da realização de diferentes atividades, as quais foram coordenadas pelo diretor da escola.

Na última terça-feira (27), duas mães estiveram ocupadas em recortar moldes para a oficina de costura do dia seguinte. "Há muitas coisas que nós fazemos para os nossos filhos que nós não faríamos anteriormente", explica Sabrina Klem, mãe de Lyse, 7 anos, e de Laura, 8 anos. "Por conta disso, anteriormente, eu não tinha contato algum com os outros pais. Agora, a gente se cumprimenta, e vai criando laços de amizade". A mesma constatação é feita por Karine Vanhouck, mãe de quatro filhos, dos quais um está sendo escolarizado na escola do Ziegelwasser. "O meu filho quer continuar estudando aqui, não apenas porque ele aprecia muito os desafios, como também porque nós temos nos mostrado mais disponíveis para ele".

Uma parte das crianças teve lá seus momentos de fraqueza, sucumbindo a uma ou outra tentação, mas nem por isso elas resolveram desistir. Este foi o caso de Yasin, 10 anos, e de Matine, 11 anos, que na semana assistiram ao jogo de futebol da final da Liga dos Campeões e ao seu programa predileto, "As Trinta histórias mais espetaculares". Nasrine, 10 anos, confessa ter participado de um chat, uma vez, no MSN, junto com a sua prima, e ter assistido a um programa sobre o código do trânsito. Dylan, por sua vez, "tropeçou" em duas oportunidades diante da sua televisão, e tampouco resistiu a brincar com seu videogame. Essas pequenas distorções das regras resultaram toda vez na retirada de um ponto em sua grade de avaliação, mas, no total, os resultados obtidos por esses quatro colegas se revelaram mais do que honrosos.

Sobre a mesa do diretor da escola, destaca-se uma pilha de cerca de quarenta cartas de incentivo. "Todas essas mensagens mostram que nós estamos lidando com um fenômeno que diz respeito a todos os meios da sociedade", analisa Xavier Rémy. "Os últimos dez dias que nós vivenciamos foram um pouco mágicos. A operação permitiu que laços sociais fossem firmados, e disso restará forçosamente alguma coisa". Ao meter o bedelho em comportamentos que, a priori, não lhe diziam respeito, mas sim envolviam a intimidade das famílias, a escola do Ziegelwasser desempenhou um papel unificador no nível do bairro, incentivando as famílias a participarem de uma aventura inédita na Europa."Para idealizar este projeto, nós nos inspiramos em parte na experiência quebequense de Jacques Brauder, um professor de ginástica aposentado que atua como militante em favor da paz", explica Serge Hygen, um encarregado de missão na associação ECO-conseil. No Canadá, um balanço realizado em dez escolas listou inúmeros benefícios que podem ser obtidos com operações desse tipo: melhora do bem-estar e do humor das crianças, que acabam passando uma maior parte do seu tempo com a família, além de menos disputas. A maior parte das escolas que haviam lançado o desafio manifestou a intenção de repetir a operação.

Tradução: Jean-Yves de Neufville

Que tal incentivarmos as escolas dos nossos filhos a fazerem este desafio?
Vale à pena tentar, mostrar as crianças que existe uma vida "lá fora"!

32 comentários:

Cris disse...

Oi, linda...
Seria uma boa para as crianças se os pais as acompanhassem nessa "aventura " de desintoxicação , sobretudo virtual.Os adultos também estão precisados.
Apareça.
A Tânia é uma fofa, não?
Bj.

Jens disse...

Puxa Lola, que legal. Muito interessante esta experiência. Bom seria que os responsáveis pela educação das nossas crianças tomassem conhecimento desta iniciativa e fizessem algo semelhante por aqui, no sentido de tirar os petizes, por algumas horas ao menos, da frente das geringonças tecnológicas. Como você disse: existe vida na rua. E é bem mais interessante que a virtual.
Um beijo.

Lívia disse...

Oi, Lola! Muito legal, mesmo. Mas fico pensando que é preciso também mudar o comportamento dos pais, não acha? Afinal, as crianças os têm como os grandes exemplos da vida...

beijos!

Luma disse...

A saúde também melhora!! Veja o número de crianças obesas e colesterol alto por causa de vida sedentaria em frente ao monitor. Beijus

Lívia disse...

fiz uma renovação total no "Passeio pela História"! Vê lá e dê sua opinião!

beijos!

jorginho da hora disse...

Eu acho que é importante começar esse tipo de educação justamente com as crianças.Acho, inclusive, lola, que eu devia me questionar mais nessas coisas.

Um abraço, garota.

SerTerra disse...

Oi Lola.. tudo bem?
Otima essa sua postagem.. seria uma boa se conseguirmos isso.. todos temos que tentar.. ate nos mesmo!!!
Passa no SerTerra que eu postei sobre o evento da Semana do Meio Ambiente no UMAPAZ... foi bem legal!!
Bom final de semana..

Vlado disse...

Muito interessante a noticia, é um desafio e tanto para estas crianças. O ideal acho que é um conciliamento entre estas atividades do mundo real e do mundo virtual. A criança deve se relacionar com seus amigos e fazer atividades esportivas e tipicas de sua idade além de ser muito importante nessa epóca aprender a gostar da leitura. Isso pode ser conciliado com um tempo, desde que não seja excessivo, para ele poder assistir tv,jogar videogames e etc. òtimo post Lola. Quanto aos seus comentários no meu blog, sim, realmente é egoismo dizer que a nossa dor é a pior pq não temos noção da intensidade da dor dos outros. Mas acho que é um egoísmo "não maldoso" ao menos, rs. E quanto a língua no ataque epilético,mesmo com a possibilidade da pessoa morder a lingua é recomendável não tentar segura-la. Bom professora Lola, espero que vc não repare muito nos meus erros de português (principalmente pontuação), ou me ajude a repara-los, volto quando houver nova postagem.
Bjos.

Cris disse...

passei aquí cedinho para te desejar uma boa semana, lindinha.

Beijão.

Tânia Defensora disse...

Oi querida!
Que legal esse desafio!
Meu filho também gosta da telinha da TV. Do computador ele ainda não frequenta, mas com os pais blogando desse jeito, logo logo ele vai querer um computador só para ele.
Beijocas

Maria Fernanda disse...

Olá lola, Nossa que desafio!!!
Precisa começar do ex... do responsavel.
A saude, educação, famila ... AGRADECE.;
BJS

Tânia Defensora disse...

Trocou o banner?
Que gracinha!
Adoro margaridas.
Vou te repassar um meme.
Beijos

Tânia Defensora disse...

Eu estou mesmo sumida, mas não é só da sua casa, é da blogosfera.
Te repassei o meme vai lá pegar.
Beijos

Lola disse...

Oi, Cris,
Concordo com você, nós, pais,também precisamos participar desta desintoxicação e descobrir um equilíbrio...

A Tânia é linda!
Beijo, moça!

Lola disse...

Oi, Jens,
Concordo com você, por isso, comecei a fazer a minha parte, conversei com a pedagoga e com a diretora da escola que minha filha freqüenta e pedi que avaliassem essa idéia. Até agora as respostas estão sendo positivas. Se puder, repasse isto para as escolas que você conhece. estará fazendo a sua parte e ajudando muito.
Um beijo!

Lola disse...

Você está super certa, Luma. Atividades físicas fazem falta na vida de qualquer um, ficar todo o tempo na frente de um monitor, seja qual for, não faz nada bem a saúde de ninguém...
Beijo e volte sempre!

Olá, Lívia,
Estive "na sua casa", adorei as mudanças!Parabéns!!!
Beijos!

Lola disse...

Oi, Jorginho,
Questione-se mesmo, não deixe de usar a net, mas, também, não deixe de viver, pois a muita coisa legal "lá fora"...

Beijo, garoto!
PS: Adorei o "garota" :).

Lola disse...

Olá, Débora,
Que bom que gostou, você também pode ajudar, divulgue esta idéia nos colégios que você conhece. Passei no Ser Terra e adorei a postagem, estão de parabéns! Assim que der, voltarei para comentar.
Beijo.

Lola disse...

Olá, Vlado,
Seu comentário foi ótimo! Se ajudarmos às crianças a terem um equilíbrio entre "o mundo real e o mundo virtual" as coisas caminharão de uma forma melhor... Ajudando os filhos, os pais também estarão aprendendo, por isso, não precisa começar pelos adultos, podemos começar juntos e aprendermos com nossos filhos!
Aqui, o que importa não é a gramática, mas sim, a informação. Você soube passar muito bem a sua... Mas, se eu puder ajudar, estarei aqui!
Quanto ao egoísmo, concordo que seja um egoísmo "não-maldoso" :).
A respeito da língua, não sabia, estou aprendendo...
Volte sempre!
Beijos.

Lola disse...

Uma ótima semana para você também, Cris!!!
Obrigada!!!
Beijo, grandão!


Oi, Tânia,

As crianças são assim mesmo, nós precisamos tentar dar uma medida para elas. Lógico que em alguns casos, temos que aprender a medida também... Confesso que irei aprender um pouco com esta experiência!
Beijo, moça.

Lola disse...

Olá, Maria Fernanda, concordo com você, e não é só a saúde física que agradece, mas, a mental também!!!
Beijos.

Lola disse...

Oi, Tânia,
Foi seu amor que me ajudou a fazer este banner, na verdade, eu só dei pitacos,rsss...
A parte das margaridas foi um deles, são minhas flores prediletas...
Tenho que agradecer a gentileza carisma do seu marido!
Assim que der, pego o meme, mas desde já agradeço por lembrar-se de mim.
Um beijo enorme!!!

Maria Fernanda disse...

Querida lola, tem um meme lá em casa para vc.
bjs

Fabio Riesemberg disse...

Não devemos sacrificar nossos prazeres. Eu adoro TV e brincar no meu simulador de vôo no computador. Mas é muito bom ficar longe das telinhas por um tempo, sobretudo quando se trata de crianças.
Fui criado muito perto do mato. Com 4 anos andava sozinho por entre as árvores, ouvindo canto de pássaros e sons de animais, bebendo água da serra. Hoje, as crianças não sabem o que é uma vaca de verdade, enquanto eu gosto até do cheiro do esterco do gado.
Enfim, mais que ficar longe das telas o bom é sair da cidade, ir para o mato. Viva o verde!

Fabio Riesemberg disse...

Lola, visite meu blog: www.esquentadinho.blogspot.com, acho que vc vai gostar.

Abraço

Lívia disse...

Lola, atualiza!! Saudades dos seus sempre ótimos posts!

beijos!

Carla Beatriz disse...

Oi Lola,

Já que você gostou de meu blog, hoje postei um novo texto . ;-)

Beijos,

Carla

Lola disse...

Olá, Maria Fernanda,
Agradeço muito por lembrar-se de mim, só demorarei um pouco para responder, já estou devendo para a Cris e para a Tânia, você entrou na lista! Fico feliz por ser lembrada!!!
Beijão.

Lola disse...

Concordo com você Fábio, Fui criada em um sítio e tenho muita pena das crianças de hoje em dia, não têm espaço, só muita violência, não sabem o que é diversão de verdade! Não digo deixar de fazer alguma coisa totalmente, mas, começar a fazer outras, um pouco de cada coisa...
Beijo.

Lola disse...

Fábio, fui ao seu blog e adorei a postagem, parabéns! Assim que tiver um tempinho farei comentários!
Beijo.

Oi, Lívia,
É gostoso "ouvir" isso, estou um pouco ocupada com alguns assuntos que não podem ser deixados para depois, prometo que assim que resolver eu coloco uma postagem novinha...
Beijos, mocinha!

Lola disse...

Olá, Carla, darei uma passada lá na "sua casa".
Beijos, moça!

Antônio Ventura disse...

Muito bom o artigo.
Parabéns.

Acredito que quando o ser humano conscientizar que quando o meio ambiente morre ele também morre. Talvez ele desperte para mover nem que seja um dedo em benefício do planeta Terra.

Um forte abraço.

Antônio Ventura.
http://www.vidaesaude.org/