Pages

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Madeira sustentável americana.



Recebi um e-mail do jornalista Fabio Riesemberg, neste e-mail ele dizia que através de uma pesquisa chegou até meu blog e a minha postagem sobre móveis de madeira (Usar móveis de madeira é correto ou não?) e perguntou se eu poderia ajudá-lo a divulgar a madeira americana. Questionei o assunto sobre vários aspectos e fiz a seguinte proposta: “mostre-me que vale à pena divulgar essa madeira, faça isso sobre aspectos ambientais e mostre-me a idoneidade dessa empresa”. Ele o fez, para confirmar a veracidade dos fatos mencionados em minha postagem, até entrou em contato com o pesquisador brasileiro Márcio Nahuz, citado na mesma. Aqui está sua matéria. Ecologicamente correta.



CONSUMO NA PRODUÇÃO
Madeira é 21 vezes mais econômica que cimento.
Material tem bom desempenho estrutural e estético, além de aprisionar carbono por mais tempo...



A madeira tem uma segunda oportunidade na arquitetura e na indústria, depois que seu uso foi relegado a aplicações ornamentais e de decoração, a partir da Revolução Industrial. Especialistas e grandes representantes do setor florestal mundial têm enfatizado o alto grau de desempenho da madeira em termos de consumo energético, além do apelo estético e maiores possibilidades de sustentabilidade em sua aplicação. Ao contrário do que muitos ainda podem imaginar, utilizar madeira para construir estruturas, habitações e móveis é uma atitude altamente ecológica, desde que o material tenha origem e consumo sustentáveis. De acordo com o IDHEA – Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica - sediado em São Paulo, produzir 1 kg de madeira consome 21 vezes menos energia que fabricar a mesma quantidade em cimento.
Comparada à quantidade de energia empregada para o a obtenção do plástico ou do aço, a economia ainda pode chegar a incríveis 99%. (veja a tabela)

Material construtivo versátil e competitivo no mundo inteiro e no Brasil, país de forte vocação florestal, a madeira é capaz de agregar valor a produtos em diversos setores, sendo um dos mais promissores da construção civil. Hoje, aspectos como durabilidade, desempenho e custo continuam indispensáveis a qualquer análise de custo/benefício. Porém, um novo fator vem crescendo no mercado: o ambiental. Este é um movimento mundial e certamente irreversível, que decorre da ampliação da consciência dos consumidores para a escassez dos recursos naturais do planeta.
O pesquisador brasileiro Márcio Nahuz, doutor em Ciência e Tecnologia da Madeira pela Universidade de Bangor (Reino Unido), afirma que a sociedade reconhece cada dia mais que a madeira é um material amigável, renovável e que aprisiona carbono, evitando o aquecimento global. “O Brasil anda a passos largos em várias áreas da indústria florestal e o Ministério do Meio Ambiente tem até um programa chamado Produção e Consumo Sustentado, para estimular a sustentabilidade no mercado nacional”, diz o pesquisador.
O Conselho de Exportação de Madeira de Lei Americana (AHEC), que reúne a maior parte dos produtores de madeira de lei americana é um dos grandes organismos do setor de base florestal mundial que incentiva o uso da madeira na construção civil. Com participação e colaboração governamental, o AHEC (sigla para American Hardwood Export Council) o conselho desfruta hoje de bosques americanos 100% sustentáveis, com um inventário florestal que tem duas vezes o tamanho que tinha nos anos cinqüenta. Ambientalmente corretas, as madeiras americanas têm um argumento legítimo para alavancar o crescimento das exportações da madeira dura americana em todo o mundo. Para Michael Snow, diretor executivo do AHEC, “a madeira é um dos recursos renováveis de menor consumo energético no seu processo de industrialização”. Segundo ele, “isso funciona como um eficiente ‘armazém ativo’ de carbono”.

Observador do aspecto mercantil, o diretor do AHEC na América Latina, Luis Zertuche, diz que o é importante dar-se conta de que o uso da madeira americana pode trazer benefícios comerciais em grande escala e alerta: “A primeira coisa a fazer a respeito do tema é livrá-lo de todos os mitos existentes a respeito de sua produção e de seu impacto ecológico”.
Márcio Nahuz também ressalta o favorecimento realizado pelos Estados Unidos em relação à madeira na construção civil. “Esse incentivo é uma grande coisa porque quanto mais se usa madeira, mais carbono se fixa e deixa de se juntar à atmosfera”, explica o pesquisador, que observa algumas vantagens do material. “A madeira deve ser usada porque é renovável, tem apelo estético, nós já conhecemos, sabemos trabalhar com ela e está cheia de pontos positivos”.
Alternativa comercial para o setor de base florestal brasileiro em tempos bicudos para a exportação, a madeira dura americana é um exemplo claro dos novos caminhos que se abrem no mercado sustentável. “As madeiras duras americanas têm aparência extremamente uniforme e podem ser facilmente reconhecidas porque são em número pequeno comercialmente”, comenta Nahuz. “Não vejo nada de mal em um eventual aumento da importação de madeiras americanas pelo Brasil, afinal os Estados Unidos são os maiores compradores da madeira brasileira”, salienta o brasileiro.



Algumas das 22 madeiras americanas de uso comercial:

Carvalho Vermelho Americano (Red Oak)
Carvalho Branco Americano (White Oak)
Bordo Duro (Hard Maple)
Bordo Brando (Soft Maple)
Nogueira (American Walnut)
Cerejeira Americana (American Cherry)O Freixo (Ash)



A madeira e os outros:

Consumo de energia para a fabricação de materiais em kWh/kg.
Fonte: IDHEA – Instituto para o Desenvolvimento da Habitaçãon Ecológica.

Areia, brita, terra e pedra.......................... 0,01
Madeira ..................................................... 0,1
Concreto ................................................... 0,2
Gesso ........................................................ 1,0
Cimento .................................................... 2,2
Vidro ........................................................ 6,0
Plásticos ................................................... 10
Aço .......................................................... 10
Alumínio ................................................. 56




Fabio Riesemberg
American Hardwood Export Council
em conjunto com o sítio
CNNEXPANSIÓN.com
e Revista da Madeira
Contato: (41) 3072-3110 e 9225-5230 - paracima@gmail.com

*CRÉDITO DA FOTO: AHEC BANCO DE IMAGENS
*Para solicitar fotos em alta resolução, favor entrar em contato.

21 comentários:

Cris disse...

Oi, Lola linda...

Seria legal se o autor do texto falasse algo a respeito dos "produtos" da madeira hoje largamente utilizados na industria moveleira ( mdf , mdp , aglomerado ) pela total impossibilidade de utilização da madeira maciça por conta de custo e escassez, sobretudo.

Bj

Cris

Jens disse...

Oi Lola.
Taí, desconhecia estas vantagens da madeira. Portanto, saio daqui menos burro.
Parabéns pelo caráter altamente informativo - além de voltado para as boas causas - do teu blog.
Bj.

Fabio Riesemberg disse...

Obrigado, Lola, pela publicação da minha matéria.

Para a Cris, eu gostaria de dizer que empresas brasileiras utilizam muito madeiras americanas laminadas para o acabamentode seus produtos. Um exemplo, entre as grandes fabricantes de cozinhas, é a Florense. Outro é a Masterpiso, empresa de Curitiba que fabrica pisos em Maple, Red Oak, White Oak e Cherry, tudo para exportação. Uma empresa bem conhecida de Santa Catarina, a Rudnick, fabrica mesas de sinuca com acabamento dessas madeiras para um único cliente americano, há 25 anos. Outros produtos, como painéis, molduras (dessas para quadros), rodapés e meias-canas são largamente fabricados nos EUA. Uma boa saída para diminuir a pressão sobre as nossas matas seria importar cada vez mais madeira americana, que é 100% sustentável. Fica caro? Fica. Mas as taxas de importação podem ser devolvidas através do drawback, um regime aduaneiro especial para quem exporta o produto acabado em seguida.
Espero ter sido útil. Muito obrigado.

Cris disse...

Obrigada, Fabio,pela atenção.

Sabia que a Florense começou aquí na minha cidade ? Hoje ela está em Miame!!1.

Obrigada, Lola, pela oportunidade dessas informações.

Bjs aos dois.

Lola disse...

Olá, Cris,
Adorei o "Lola linda" rs...
Quanto ao seu pedido, o autor já o respondeu :).
Estou resolvendo algumas coisas, mas logo estarei com mais tempo para aparecer...
Adoro suas visitas...
Beijo.

Lola disse...

Olá, Jens,
Que bom que você aprende aqui!!!
Obrigada pelos elogios e volte sempre!!!
Não estou conseguindo comentar no seu blog, não sei o que houve!:(
Beijo.

Lola disse...

Fabio,
Não tem porque agradecer, como já disse, o que é bom para as pessoas tem que ser divulgado!!!
Beijo.

Tânia Defensora disse...

Oi Lola!
Que post interessante sobre a madeira. Não sabia desse dado.
Estou com saudades de ti.
Abraços

enzo de marco disse...

olá lola obirgado
pelo comentario masi devo informara que aquele era um conto que apesar de parecer verdadeiro é uma ficção , imagino que milahres de seres sofram desses problemas de "equalização social" kkkk escrevo p/ eles que talvez pois me sinto como eles quem não se sente????
PS:ah admiro sua preocupação sobre a utilização da madeira americana
eu me preocupocom questões humanas
saudações
ENzo de marco( Lobo da estepe)
AHHHHH por favor não deixe de visitar o meu blog sempre tem contos novos lá

Cristiane Fetter disse...

Lola, meu móveis lá nos esteites sao de carvalho, a casa que moro é feita (até mesmo por causa do frio tem que ser assim, pois a madeira é um isolante térmico).
É interessante pensar na madeira como meio de construção mais econômico, impedindo assim também que a Amazônia seja retirada do mapa, e possibilitando campo de trabalho para os Brasileiros que se predisporem a plantar este tipo de árvores para extração.
Muito trabalho a se fazer e divulgar.
Ótimo post.

obs.: também gostei muito do seu pai, gente fina e tranquiiiiiiiiiiilo, risos.

Beijocas

jorginho da hora disse...

Vendo este tipo de matéria em seu blog e sabendo como ela chegou até aí, fico contente, pois isso prova a importancia social de um blog. Parabens. gostei de vc e do seu blog. Saiba que estarei sempre aqui.

Lola disse...

Oi, Tânia,
Que bom que leu algo novo!!!
Também estou com saudades de você, pensei que ainda estavam viajando :)...
Beijos.

Lola disse...

Olá, Enzo,
Viu como você escreve bem! Pensei até que seu conto era um diário...
Fico grata por sua admiração e pode deixar que sempre darei uma passadinha no seu blog.
Beijo.

Lola disse...

Oi, moça Cris :)
Concordo com você em grau, número e gênero!!!
Que bom que gostou da postagem...
Entendi o "ele é tranqüilo"...rsss...
Vem comer bolo de chocolate!!!
Beijos, moça!!!!

Lola disse...

Olá, Jorginho,
Fico grata pelos parabéns, mas quem escreveu esta matéria não fui eu,foi o Fabio. Porém, fico contente em saber que você gostou do blog. Volte sempre!!!
Beijo.

Márcio Santos disse...

Superando-se a cada dia hein moça!! Postagem de conteúdo altamente informativo e de certa forma surpreendente. Idéias e atos indispensáveis. Parabéns querida... Sempre em frente.

P.s.:estas ficando importante com estes novos contatos hein... tu merece. Bjos Lola.

Maria Fernanda disse...

Parabéns pelo espaço, estou conhecendo novos blogs e gostei muito do seu.
Um abraço.

Lola disse...

Oi, márcio,
Que bom que gostou da postagem, afinal, você me acompanha desde o início deste blog...
Quanto aos meus novos amigos, não sou eu que fico importante, mas, eles que são importantes para mim, pelo simples fato de serem amigos!!!
Beijos e não suma!!!

Lola disse...

Obrigada, Maria Fernanda, que bom que gostou do nosso espaço...
Volte sempre!!!

Anônimo disse...

ha, I will experiment my thought, your post give me some good ideas, it's really awesome, thanks.

- Joe

Anônimo disse...

imparato molto